Compartilhar é natural

 

Por Rinaldo Machado

rinaldo@transpodata.com.br

Mobilidade partilhada deve crescer significativamente nos próximos anos. Assim como a invenção do carro teve um impacto fundamental sobre a mobilidade no século 20, novas revoluções de mobilidade irão remodelar a vida no século XXI. Compartilhamos nossos produtos, inovações, eventos, vida, cultura e ideologia com o mundo. Nós compartilhamos nossas vidas no Facebook, Instagram e SnapChat. Compartilhamos nossos pensamentos e informações no Twitter, no YouTube e os blogs. Nós até compartilhamos nossa casa com estranhos através do Airbnb.

Os setores industriais também verão mais disrupções dentro dos próximos cinco anos do que nos últimos 20. As receitas vão crescer, mas os players precisarão estar muito bem preparados sobre os temas mais críticos para capturar seu quinhão. Os avanços tecnológicos terão um enorme impacto sobre as sociedades e vão revolucionar a nossa forma de trabalhar, e, portanto, as nossas vidas. Tais mudanças sem precedentes em sua escala e velocidade, impulsionadas pelos avanços maciços em geração de dados, capacidade de computação e conectividade já afetam todos os aspectos da vida empresarial. Em muitos casos, as tecnologias em si não são de ponta, é que simplesmente ninguém foi capaz de implementá-las em escala antes. As empresas que não se adaptarem ao risco da velocidade, serão rapidamente marginalizadas.

Aprender a partir de dados e desenvolvimento de algoritmos inteligentes tornou-se uma vantagem competitiva. Nesta edição, notamos que executivos de todos os setores acreditam que AI e sistemas autônomos irão afetar toda a indústria. Investimentos em TI estão em níveis sem precedentes em empresas de tecnologia e fabricantes tradicionais da indústria automotiva. Veículos sem condutores são os novos garotos-propaganda da AI, mas as empresas industriais também estão investindo na aprendizagem e robótica de máquinas para desenvolver tecnologias específicas, relacionadas a seus principais negócios.

Apuramos também que a eletrificação vai substituir fontes de energia tradicionais - mais notavelmente em veículos - impulsionada por mudanças regulatórias e tecnológicas e pela crescente demanda dos consumidores. O crescimento das vendas de veículos elétricos está prevista para ser de 25 a 30 por cento até 2025. Regulamentos de emissões mais rigorosos e custos mais baixos de baterias estão contribuindo para a enxurrada de atividades nesta área. A Transpodata inicia a partir dessa edição de aniversário uma incursão investigativa juntos a todos os players da indústria automotiva, empresas de tecnologia envolvidas direta e indiretamente com o setor de transporte e mobilidade para trazer um panorama do que vem por aí e ajudar nossos leitores a pensar transporte e logística diferente.

 
LEIA TAMBÉM